Cabeça fria: dicas essenciais para cuidar do fluido de arrefecimento.

Cabeça fria: dicas essenciais para cuidar do fluido de arrefecimento.

Cabeça fria: dicas essenciais para cuidar do fluido de arrefecimento.

Realizar corretamente a manutenção é importante para evitar danos no sistema de refrigeração.

Agente de resfriamento desenvolvido para controlar o calor gerado pelo motor (mantendo-o sempre nas melhores condições de temperatura), o fluido de arrefecimento exige cuidados importantes na hora da manutenção. 

Como recomendação, o líquido deve ser trocado regularmente após três a quatro anos, em intervalos estabelecidos pelos fabricantes. Na prática, postergar a troca pode levar a danos no motor e no sistema de arrefecimento, incluindo superaquecimento, corrosão, aumento do consumo de combustível e ruídos internos.

Confira abaixo dicas que, se seguidas corretamente, garantem o funcionamento adequado do motor e evitam aborrecimentos:

1. Checar o nível: verificar regularmente o nível do fluido de arrefecimento é fundamental. Normalmente, a vistoria do nível do fluido é oferecida pelos frentistas nos postos de gasolina. A checagem é importante, mas a recomendação é que qualquer alteração deve ser analisada criteriosamente por um mecânico especializado.

2. Troca do líquido: durante reparações, sempre substituir totalmente o líquido de refrigeração, lavando e limpando previamente o sistema de refrigeração. O abastecimento incorreto do fluido pode provocar danos no sistema. A troca pode ser um procedimento simples, mas é preciso alguns cuidados que só o mecânico capacitado tem, principalmente, para avaliar possíveis danos aos componentes, necessidade de manutenção e a escolha do produto adequado.

3. Frequência da troca: no caso de veículos com mais de seis anos, é recomendada a substituição da proteção do radiador a cada três ou quatro anos, de acordo com o fabricante. Isso porque surgem moléculas corrosivas devido à degradação gradual do próprio fluido. Adiar a troca pode levar a superaquecimento, corrosão, aumento do consumo de combustível e ruídos internos.

4. Atender à recomendações do fabricante: respeitar sempre as indicações do fabricante do veículo. Nunca misturar agentes de proteção do radiador com diferentes tecnologias, ou seja, produtos de fabricantes diferentes. Para reposição, existem diferentes tipos e tecnologias e é importante utilizar o produto indicado pelo fabricante, informação que vem impressa no manual do carro, pois foi formulado e testado especialmente para a aplicação, além de contar com a aprovação da montadora.

 

Fonte: motor1.uol.com.br

LIGAMOS PARA VOCÊ

Informe seu telefone de contato para que um de nossos consultores lhe retorne.